Páginas

Pesquisar este blog

16 de novembro de 2010

De um passado tão próximo...

Ela andava comigo aqui
Mesmo que lá, eu podia sentir
Ela respondia que me amava
Mesmo sabendo o quanto pra mim isso importava

A ausência antes era questão de física
Mas agora o abstrato sentimento parece ter fim súbito
Ela me faz falta, muita falta
E isso faz doer, dói muito

E por mais que eu queira
Esquecê-la está fora de cogitação
Pro coração que a cada pulsar
Me dá mais vivência com a solidão
Rotina, voltou, gritou, sufocou
Um amor que por dois começou
Mas que só um sustentou

E que por tal guerreiro continua a lutar
Ora sem fé, ora crente que vai chegar
O dia que antes parecia tão óbvio
E que o tempo traria tão depressa
Que hoje respira na dúvida
Se a cada dia aumenta ou regressa

Não tenho muitas opções
E não é com desprezo que te espero
Das poucas que hoje tenho
Vejo que é a melhor a que quero

Por mais que sorrir
Esteja sendo difícil
Estou assim por que te amo
Não é nenhum artifício

Nenhum comentário:

Postar um comentário