Páginas

Pesquisar este blog

11 de abril de 2011

Quando a saudação tem idade...

Aqui, mas longe, contigo estou
E por ti sou
O que não era rotina ser
O abdicar do direito ter
Vida na mais liberta mente
Descrente, de mim mesmo suplente

O saudável que é pro organismo
Distinto do que é frequente próximo
Supera oxigênio em matéria de necessidade
A sua delirante assiduidade

Por tiro nunca fui vítima
Nem ao menos saúde crítica
Mas de todas, sublime verdade
Hoje sei o que é dor de verdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário