Páginas

Pesquisar este blog

20 de junho de 2011

De tudo...

De todo amor puro, pior o que se esfria
De tudo o que tentei acertar, pior foi o que alguém detinha
 
De todo sangue jorrado, pior o que permanece dentro de mim
De tudo o que tenho amado, o pior é a ingratidão sem fim
 
De tudo o que tenho sentido, o pior é a solidão
De toda ignorância mantida, a pior é a de um irmão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário