Páginas

Pesquisar este blog

8 de outubro de 2012

Somos nada...

     Os seres nos fazem crer que somos alguma coisa. Um ótimo músico, uma mulher bonita, um pensador excelente, uma mãe excepcional. De fato somos. Mas do que viemos, somos mesmo esquecendo e retornaremos o fim mostrará: o pó.
     Nosso corpo é nada, nossa fragilidade demonstra isso. Hoje estou aqui escrevendo e você lendo-me, mas e amanhã? Talvez nem precise raiar o dia para meu corpo ficar gelado, duro, não existe momento certo ou errado para isso acontecer. Cismamos estar preparados, mas choca o instante da notícia. E é certo que ela chegará a todos: a morte.
     Temida morte que nos confirma o que sempre quisemos esconder: somos nada. Costumo dizer que a pior coisa para se falar a alguém muito orgulhoso, que se acha, é que ele é "um merda"! Nada pior do que você escancarar a realidade para quem renega-a. Vivendo humildemente, sabendo que se é nada, se tentará ser alguém! Ao menos seria bom. A morte é certa. A vida, talvez. "O pior é morrer sem viver", como diria meu querido amigo Anésio Rodrigues. Temos como fazer mais do que já é certo e inevitável, o inevitável que é viver, ter uma história que a morte não mate. Fazer com o espírito o quê outros espíritos testificarão e disseminarão, pois tudo o que é carne um dia acabará.
     Contra a morte não tem o que se fazer. A favor da vida pode-se viver. Deixar o que o tempo não destrói e o que ao pó não retorna.
     Saiba que eu você somos nada. Lutemos e vivamos para ser alguma coisa além disso, sairmos dessa naturalidade. O que já é certo está definido, vamos atrás do que é incerto!

     Eternidade a vocês, eternidade a nós!

     Esse texto é para Jéssica, garota de quinze anos completados no último domingo, que em sua festa de aniversário programada para sábado que vem, teria uma surpresa do grupo de samba no qual eu toco e que ela gostava muito. Infelizmente não pudemos tocar porque ela resolveu adiar essa festa para outra data, em outro plano, em outro lugar. Um lugar melhor que eu coopero com meu pensamento e minha fé para que exista e que um dia a encontrarei com pessoas que deixaram saudades.

Um comentário: